domingo, 29 de março de 2009

Segunda Tarefa - Princípios da Web 2.0: Dados numa escala épica

A essência da Web 2.0 são as aplicações que são construídas com participação dos usuários. Graças à contribuição dos mesmos, as aplicações armazenam imensas quantidades de informação. Aplicações da Web 2.0 fazem consultas em tempo real sobre a enorme quantidade de informação disponível, e então descobrem que tipo de serviços é possível fazer.
[Fonte: Crmbuyer.com]


Quando se consegue analisar essas massas de dados com competência, é possível perceber tendências e gerar conteúdo direcionado ao perfil do usuário que acessa a aplicação naquele instante, inclusive anúncios publicitários de seu interesse. Isso gera interesse por parte do usuário, que recebe conteúdo de acordo com sua preferência e renda para os desenvolvedores da aplicação, uma vez que a publicidade mostrada terá maior probabilidade de ser visitada.

Com isso, as primeiras ferramentas a utilizar essa grande esses dados foram as máquinas de busca, cuja a função é varrer a internet e indexar seu conteúdo para que os usuários possam encontrar rapidamente o que desejam, dentro da rede. Máquinas de busca como o Yahoo! e Google tiraram grande proveito desse serviço e mostraram e provaram a grande capacidade publicitária que a internet oferece, visto que ela pode se aproveitar do ganho em calda longa e assim, um ganho de centavos em cada anúncio publicitário se transforma em milhões devido ao gigantesco número de acessos.

Depois disso, várias outras aplicações se aproveitaram do potencial colaborativo da internet e criaram espaços com conteúdos gigantescos sem o menor esforço de construção. Nesse contexto, pode-se citar as redes Peer-to-Peer, como o Emule ou Torrent, que detêm um enorme acervo de arquivos de todos os tipos, compartilhados e abertos ao mundo e ainda permitem interação entre os usuários. Além disso, pode-se verificar o surgimento da Wikipedia, uma enciclopédia virtual, cujo conteúdo é livre e inteiramente produzido pelos usuários de todo planeta. Vale ressaltar que consta no site Wikipedia no dia 29/03/2009, o impressionante número de quase 3 milhões de artigos publicados apenas na língua inglesa. Enquanto isso, uma das mais respeitadas enciclopédias do Mundo, a Barsa, exibe um conteúdo de apenas 122 mil verbetes (Ver link desta fonte).

Esse fato já demonstra claramente a quantidade de dados que podem ser agregados à Web 2.0. Mas, além dessas aplicações, ainda restam as redes sociais que também possuem uma enorme capacidade de aumentar o volume de dados presentes na rede. Nesse sentido, redes como o YouTube, que permite a postagem ilimitada de vídeos e também o Flickr, que fornece aparatos para a postagem rápida e eficiente de fotos pelos usuários, são ambientes cujo o conteúdo é praticamente incomensurável.


Desse modo, todas essas ferramentas e ambientes acabaram por criar um volume de dados sem precedentes, que deu origem ao conceito de Cloud Computing, ou nuvem computacional. Assim, ao utilizar a nuvem, o usuário não precisa mais se preocupar em como pode armazenar, mas sim em quanta informação ele consegue colocar na rede e por fim, o quanto dessa quantidade épica de dados é possível aproveitar.

6 comentários:

  1. Um ponto que acho importante também é que o aumento da internet em banda larga tem permitido esse crescimento explosivo. Cada vez mais pessoas conseguem colocar um conteúdo ainda maior com mais velocidade.

    ResponderExcluir
  2. Uma demonstração bem estruturada e com grande potencial de desenvolvimento; da utilização dos dados em uma escala épica, pois esta armazena muitos teras de dados por aplicação, e o armazenamento de mapas e fotos com uso no geoprocessamento ou a topografia, http://www.mensural.com.br/a4.htm.

    ResponderExcluir
  3. O texto foi muito bem estruturado e exemplificado. Acredito que o volume de dados disponibilizado na internet seja no momento imensurável, a facilidade de se postar novos conteúdos é cada vez maior, e com isso o volume de dados se torna um processo em crescimento. Muitos procedimentos principalmente gorvernamentais e judiciais, são focos de automatizações futuras. O desenvolvimento de tecnologias como e-book, também automatizará a produção de livros. Enfim, todo o fluxo de mercado hoje se foca na internet e estamos cada vez mais dependente dela.

    Maisa Horta - Grupo D

    ResponderExcluir
  4. Muito bom!!!

    O texto foi bem esclarecedor, e foi no ponto principal de que dados numa escala épica só é possível porque há diversas pessoas contribuindo!

    E além disso, englobou as diversas ferramentas existentes que contribuem para essa disseminação de dados, não se limitando somente a aquilo que é acessível via broswer!

    O aplicativo do grupo é um excelente exemplo de informação colaborativa, e que não deixa de ser mais um meio para povoar a internet com dados!

    ResponderExcluir
  5. Com o aumento da capacidade de acesso e facilidade de navegacao as máquinas de busca mostraram o quanto a WEB 2.0 é capaz inovando a capacidade publicitária principalmente no que tange a dissiminacao rapida e direcionada da informacao.
    Romulo Grupo G

    ResponderExcluir
  6. O texto foi bem explicativo e contém dados muito interessantes que mostram como é grande o poder de instruir que a Web 2.0 tem, com um banco de dados gigantesco. Porém nos alerta para a necessidade de saber administrar bem essa imensa quantidade de dados para gerar conhecimentos úteis.

    ResponderExcluir